Ações de criminosos contra bancos crescem 40% em Minas

O número de ataques de criminosos a agências bancárias voltou a crescer neste ano em Minas Gerais depois de dois meses de queda. Em outubro, foram 14 ocorrências, 40% a mais do que em setembro, com 10 casos, e acima de agosto, com 13 registros. Mesmo assim, a média mensal continua a mesma, 13,5 ataques, o que corresponde a 2,2 por dia. A Polícia Militar (PM) registrou 135 ataques a banco até outubro, mas, apesar da aceleração no mês passado, os números permanecem verificado em 2016, quando, somente até setembro já haviam sido registrados 189 casos. Mesmo assim, o crime ainda chama a atenção das autoridades. E a aceleração recente ocorre mesmo depois de a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) lançar uma força-tarefa para evitar esse tipo de crime e criar um protocolo para padronizar as ações de combate. Desde a publicação das medidas, foram oito crimes dessa modalidade. Somente ontem, houve três ocorrências no estado.

Em Mateus Leme, na Grande BH, o alvo foi uma agência do Santander, que fica na Avenida Getúlio Vargas, Bairro Concenza. Os bandidos atiraram contra a companhia da polícia na cidade, segundo dados da PM. Eles fugiram de carro em direção à BR-381. Não foi divulgado se os criminosos conseguiram pegar dinheiro. Outro ataque ocorreu em Pitangui, na Região Centro-Oeste. Durante a madrugada, pelo menos dois homens tentaram explodir uma agência do Itaú e outra dos Correios. De acordo com a PM, os criminosos usavam armas longas e pistolas e estavam em um Sedan vermelho. Por volta das 4h30, tentaram explodir o banco. Em Padre Carvalho, na Região Norte, o alvo de criminosos foi a agência dos Correios. De acordo com as informações da assessoria de comunicação da 11ºRegião da Polícia Militar, responsável pelo patrulhamento na cidade, os criminosos chegaram durante a madrugada ao imóvel e tentaram, sem sucesso, explodir o terminal. Uma mochila com explosivos foi abandonada em frente ao local e uma área teve que ser isolada. Policiais militares informaram que a suspeita é de que o grupo tenha fugido para a Bahia.

Fonte: Estado de Minas

Deixe uma resposta