Agentes penitenciários ocupam Assembleia em protesto contra demissões

Deputados negociam a saída dos manifestantes do local

Um grupo de cerca de 60 agentes penitenciários ocupou, na noite desta segunda-feira (3), as dependências da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) em protesto contra a demissão de funcionários pelo governo de Minas. Os agentes exigem que os contratos dos atuais servidores sejam renovados até 2019. Atualmente, a administração estadual vinha nomeando agentes aprovados em concurso público no lugar dos atuais ocupantes dos postos.

Sindicalistas argumentam que há mais de 800 vagas abertas no concurso público da categoria e que não foram completadas. Ao todo, segundo o grupo, há uma defasagem de 1.300 agentes no Estado. Na semana passada, os agentes foram recebidos pela Comissão de Segurança Pública da Casa para discutir a situação.

O agente socioeducativo de Belo Horizonte e membro do Sindicato dos Agentes Socioeducativos, Rômulo Assis, chegou a questionar o número alto de demissões “Como vamos fechar essa conta? A carga horária já é pesada e, sem recursos humanos, como vamos fazer? O número de agentes que sai é maior que o número que entra”, afirmou. Nesse sentido, Assis, durante a reunião, defendeu que as demissões não aconteçam enquanto não for resolvida a possibilidade de um novo concurso público.

Os deputados Rogerio Correia (PT) e Sargento Rodrigues (PDT) conversaram com o grupo para negociar a sua saída do plenário. Uma emenda que propõe a renovação imediata dos contratos dos atuais trabalhadores por dois anos foi elaborada para conter a crise. O presidente da Casa, deputado Adalclever Lopes (PMDB), também participou das conversas para a saída do grupo do local. Não houve ocorrências.

Fonte: O Tempo

Deixe uma resposta