Cemig terá que revelar nomes e salários de apadrinhados do PT

A Cemig terá 30 dias para fornecer à Assembleia Legislativa de Minas Gerais lista com todos os nomes e respectivos salários de funcionários contratados desde 2015 em cargos comissionados (sem concurso público) na estatal, incluindo as subsidiárias e empresas terceirizadas. A solicitação foi aprovada na Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a partir de requerimento apresentado pelo deputado Sargento Rodrigues que será enviado para o governo de Minas.

A estatal tem sido usado pelo governo de Fernando Pimentel, entre outros órgãos da administração direta e indireta, para abrigar aliados do governador. Recentemente, o jornal O Tempo denunciou que os gastos da estatal para remunerar seus 49 diretores e conselheiros alcançará a cifra de R$ 19,2 milhões e a gastança poderá crescer ainda mais. Está agendada para o dia 12 de maio reunião do Conselho da Cemig para escolher novos conselheiros e promover mais reajustes nos jetons.

Entre os indicados para assumir uma vaga nos conselhos e receber jetons estão o comandante-geral da Polícia Militar, Marco Antônio Badaró Bianchini; do ex-prefeito de Luminárias (PT) e ex-presidente da Funed, Arthur Amaral, e o chefe de gabinete do secretário de Governo, Odair Cunha. De acordo com a reportagem, a maioria dos postulantes ao conselho presidido pelo secretário de Fazenda, José Afonso Bicalho, não possui experiência em finanças para assumir o cargo.

A Cemig é usada vergonhosamente para engordar os salários dos ‘companheiros’ de Pimentel. Uma espécie de recompensa para quem veste a camisa vermelha do PT. Vejam o caso do Coronel Marco Antônio Badaró Bianchini. Além de receber seu salário de mais de R$ 30 mil, ele vai embolsar mais quase R$ 10 mil para participar do conselho da Cemig, um prêmio por trair a categoria, instruindo como parcelar os salários dos policiais, e ficar do lado de um partido político”, afirma o deputado Sargento Rodrigues.

A despesa com o pagamento dos jetons aos conselheiros subiu 115,3% no ano passado, quando atingiu a cifra de R$ 232.372,56, na comparação com 2014.

aparte

Leia Mais:  MP vai investigar contratação de apadrinhados pela Cemig

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *