Carro plotado com a logomarca do governo de Minas foi flagrado deixando mantimentos e materiais para os integrantes do MST

Crédito: Reprodução O Tempo
Crédito: Reprodução O Tempo

Um carro plotado com a logomarca do governo de Minas foi flagrado deixando mantimentos e materiais para os integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) que ocupam, desde essa quarta-feira (8), a sede da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Acampados na entrada do prédio, os manifestantes reivindicam instalações elétricas em áreas de reforma agrária. O veículo estacionado em frente ao prédio trazia a logomarca do governo de Fernando Pimentel (PT), que também é alvo do protesto. As fotos viralizaram nas redes sociais e foram bastante exploradas por grupos de oposição ao governo petista.

Nessa quinta-feira (9), o deputado estadual Sargento Rodrigues (PDT) divulgou um áudio dizendo que o flagrante com o veículo configura crime de improbidade administrativa. “Vamos apresentar duas representações: uma para a Controladoria Geral do Estado e outra para o Ministério Público estadual. Nós vamos cobrar porque a CGE tem o dever de fiscalizar. Queremos trazer a público nossa indignação pela falta de zelo com a coisa pública”, acusou o parlamentar.

Em nota, o Estado informou que o citado veículo não pertence à frota do governo de Minas. “O carro foi adquirido pelo Centro de Formação Francisca Veras, por meio de recursos de convênio celebrado junto à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário. O Convênio 1.204/2015, celebrado em plena conformidade com a legislação vigente, prevê a aquisição do veículo para uso exclusivo em atividades agrícolas diversas, devidamente descritas no plano de trabalho. Portanto, a responsabilidade pelo uso do veículo é da entidade conveniada”, esclarece o texto do governo.

Ainda de acordo com o Estado, o secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, solicitou à Controladoria Geral do Estado (CGE) a abertura de auditoria para investigar se o veículo com plotagem de logomarca do governo do Estado foi ou não utilizado de forma indevida para transporte de materiais de movimentos sociais.

O Centro de Formação Francisca Veras é um espaço de capacitação técnico-pedagógica da agricultura familiar e funciona no assentamento Oziel Alves Pereira, em Governador Valadares, no Rio Doce. O centro tem convênio com a Codemig no projeto Plantando o Futuro. Procurado para se manifestar, um dos líderes do governo Pimentel na Assembleia, deputado estadual Rogério Correia (PT), disse que a luta do MST é justa e que vai acompanhar as negociações com o governo.

Fonte: O Tempo 

Deixe uma resposta