Governo compra câmeras fotográficas por mais de 100% do valor de mercado

Em meio à crise financeira e atrasos de salários, aquisição superfaturada custou mais de R$ 14 milhões aos cofres públicos

Imerso em uma crise financeira sem precedentes, o governo de Fernando Pimentel gastou, neste ano, cerca de R$ 15 milhões na compra de quase 4 mil câmeras fotográficas que, a preço de mercado, não custariam mais do que 7 milhões. O superfaturamento causou indignação dos deputados de oposição na Assembleia Legislativa de Minas e, nesta terça-feira (21/08), foi debatido em audiência pública da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia requerida pelos deputados Ione Pinheiro e Sargento Rodrigues. Representantes da secretaria de Educação que participaram da reunião confirmaram que os equipamentos foram adquiridos no valor unitário de R$ 3.852,00, conforme previsto no edital do pregão eletrônico 34/2017, para serem utilizados em escolas públicas do Estado.

“Este governo precisa ter prioridades, isso é uma falta de respeito com o dinheiro público. Estamos diante de um cenário caótico, com professores e servidores com salários atrasados, com escolas sucateadas, sem material adequado e nem merenda escolar. Pagar R$ 3.800,00 numa máquina que custa cerca de R$ 1.800,00 é um absurdo”, afirmou Ione Pinheiro.

Segundo a deputada, os representantes da secretaria de Educação não conseguiram dar explicações que justificassem a diferença de mais de 100% entre o valor pago pelo governo e o cobrado no mercado e, por isso, acionará o Ministério Público e o Tribunal de Contas para apurarem o caso. “Nós sabemos da importância de se investir em tecnologia nas escolas. Não estamos questionando a necessidade de se adquirir os equipamentos, mas o preço pago por eles”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *