Iniciativa privada não quer Expominas nem Minascentro

O governo mineiro, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), abriu licitação para conceder o Minascentro e o Expominas à iniciativa privada. Entretanto, a licitação marcada para o último dia 2 foi deserta, ou seja: não teve nenhum interessado.

Procurada pela reportagem, a Codemig informou, por meio de nota, que está avaliando o assunto para definir as próximas medidas a serem tomadas. Enquanto isso, a gestão permanece sob sua responsabilidade.

Essa não foi a primeira vez que a licitação do Minascentro não foi adiante. Em janeiro deste ano, a companhia realizou pregão para concessão de uso do empreendimento, mas ninguém se manifestou.

Por isso, a estratégia adotada desta vez foi licitar os dois centros de feiras, eventos e convenções em conjunto, novamente sem sucesso.

Condições. Conforme o último edital publicado pela Codemig, a concessão onerosa de uso poderia ser para uma única empresa ou um consórcio de empresários.

O vencedor ficaria responsável pela operação econômica dos bens, com destinação vinculada à promoção de eventos, como feiras, convenções, shows e espetáculos, além de arcar com os encargos relacionados à realização de investimentos e obras de manutenção e modernização, por exemplo.

Somente com a reforma do Minascentro, o investimento mínimo obrigatório do ganhador da licitação seria de R$ 15 milhões, executados em até dois anos.

O período de concessão estipulado pela Codemig para uso dos equipamentos era de 35 anos, renovável uma vez, por igual período.

Fonte: O Tempo 

Deixe uma resposta