MP e Justiça fecham cerco às falhas nas licitações da BR-381

As licitações da BR 381 preocupam o Ministério Público e a Justiça Federal, que pedem regras mais rígidas nos contratos firmados entre empreiteiras e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) afim de evitar desistências e atrasos nas obras prometidas por Pimentel.

De acordo com o jornal Estado de Minas, depois da empreiteira espanhola Isolux Corsán devolver ao Dnit três lotes da via, a empresa e o órgão federal atribuem um ao outro a culpa pelo ritmo lento na execução da obra. Segundo a juíza federal Dayse Starling Motta, coordenadora do Programa de Conciliação da BR-381/Norte, as multas para empresas que abandonam obras públicas estão previstas nos contratos firmados, uma vez que representam atrasos no andamento das obras.

Fonte: Estado de Minas

Leia abaixo a matéria na íntegra do jornal Estado de Minas

br381

br 381 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *