Deflagrada pela Polícia Federal em 2014, a Operação Acrônimo investiga ilegalidades cometidas no financiamento e prestação de contas de campanhas do PT e tem Fernando Pimentel como principal investigado.

Querendo se esconder atrás de seu cargo de governador, Pimentel colocou em questionamento a legitimidade da Constituição Mineira, que trata do afastamento de governador de Estado que tenha contra si denúncia recebida pelo Superior Tribunal de Justiça sem que haja consulta prévia à Assembleia Legislativa em caso de crime comum.

Com a artimanha, Pimentel empurrou a decisão da abertura de seu possível processo penal para o Legislativo, onde possui amplo apoio político.

Caberá agora a cada um dos 77 deputados estaduais de Minas dizer se é a favor ou contra o andamento do trabalho da Justiça.

Vídeos

Pressão para livrar Pimentel da justiça tem ameaças de expulsão de partido