Repercussão

Pimentel fez contrato de fachada para quitar dívidas de campanha, diz delator

24 de novembro de 2016 às 6:07pm

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), usou a máquina do governo, no exercício do cargo, para pagar dívidas de campanha. A denúncia foi feita pelo empresário Benedito Rodrigues de Oliveira, o Bené, considerado operador do petista, em sua delação premiada homologada pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Segundo Bené o governo de Minas Gerais firmou contratos de fachada com empresa de publicidade Própolis para quitar débitos da campanha de Pimentel com a Vox Populi e a empresa Mantiqueira, do marqueteiro Chico Mendez. O empresário afirmou que o governador sabia do acordo.

O UOL teve acesso ao documento de delação nesta quarta-feira (23), que teve o sigilo quebrado na véspera pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Em sua delação, Bené disse que ao término da campanha eleitoral de Pimentel ao governo de Minas Gerais existia um débito com a empresa Vox Populi e com o marqueteiro Chico Mendez.

Segundo o delator, a dívida de campanha do petista foi assumida pelo governo estadual que, por sua vez, utilizou o contrato que já tinha com a agência de publicidade Própolis para o pagamento do débito com a Vox Populi e Mendes.

A Própolis, assim, segundo Bené, recebeu por serviços não realizados e quitou o débito da campanha junto às outras empresas. Segundo ele, houve um “compartilhamento” entre essas empresas para receber as dívidas.

“(Houve) compartilhamento da conta publicitária do governo de Minas Gerais, que pertencia à empresa Própolis, com a empresa Mantiqueira do marqueteiro Chico Mendez´.”

Bené afirmou que, em dezembro de 2014, foi procurado em sua casa em Brasília por Chico Mendez, responsável pelo marketing da campanha de Pimentel, e Ivan Kaiafa, proprietário da produtora G5, que lhe cobraram dívidas da campanha eleitoral. Bené disse que não se recordava da quantia exata do débito.

Ainda no depoimento à Justiça, Bené disse que, ao informar aos dois que não tinha condições de saldar a dívida, recebeu a informação de Chico Mendez de que teria sido procurado pelo proprietário do Vox Populi, Marcos Coimbra, sugerindo que eles assumissem uma conta da agência de publicidade Própolis, para que pudessem receber as dívidas.

“Chico Mendez informou que Marcos Coimbra havia recebido a autorização de Fernando Pimentel para ajustar com o proprietário da agência Própolis o serviço”, disse o empresário no termo de colaboração premiada.

“Os valores pelos serviços prestados seriam utilizados para quitação das dívidas de campanha”, afirmou.

Bené afirmou também que o acordo foi efetivado em 2015, no primeiro ano da gestão de Pimentel. Ele ainda informou que a agência Própolis tinha contrato com o governo do Estado na gestão anterior, do PSDB, e “estava preocupada com a paralisação dos negócios no governo do PT, razão pela qual aderiu ao negócio”. Mendez disse, em nota enviada ao UOL, que prestou os serviços

Leia na íntegra: Uol

Vídeos

Pressão para livrar Pimentel da justiça tem ameaças de expulsão de partido