Oposição cobra do governo mais investimentos para a saúde e compromisso com o servidor

Os deputados de oposição participaram nesta terça-feira (01/08) da primeira reunião de Plenário após o recesso parlamentar. Na reabertura dos trabalhos, os parlamentares criticaram o calendário com as novas datas do escalonamento dos salários dos servidores estaduais, divulgado ontem pelo Executivo. A falta de investimentos do governo na área da saúde também foi questionada pelos deputados. A situação, que vem provocando o fechamento de hospitais em todo estado, motivou a Comissão de Saúde na Assembleia Legislativa a pedir esclarecimentos do secretário da pasta sobre o mapeamento e financiamento para a implantação de nova unidades de pronto atendimento em Minas.

Ao apresentar o requerimento em Plenário, o presidente da Comissão de Saúde, deputado Carlos Pimenta, explicou que há uma grande crise na saúde e que o governo precisa se posicionar diante dos graves problemas enfrentados pela população. “A situação é dramática e é hora de passá-la a limpo. As pessoas estão morrendo nas portas dos nossos hospitais, que por sua vez estão fechando suas portas. Não há como manter mais o atendimento. O secretário tem que apresentar um plano. Temos que saber o que o governo pretende fazer”, disse.

Salários parcelados

O descaso do Executivo com o funcionalismo público tem sido umas das grandes marcas do governo Fernando Pimentel. A cada novo cronograma de pagamento, os servidores, que já estão há mais de um ano e meio com os salários atrasados, ficam ainda mais distante do sonho de terem seus vencimentos creditados em dia. Conforme a tabela divulgada ontem (31/07), os pagamentos permanecerão em três parcelas pelo menos nos próximos dois meses, sendo que a última parcela no mês de agosto só será creditada no dia 30.

“Estamos retomando os trabalhos do Plenário hoje com a expectativa de que o governo cumpra a promessa de resolver, por exemplo, a questão do pagamento dos servidores. Alardearam por aí que era preciso aprovar aquele péssimo projeto dos fundos com a desculpa de que levantaria dinheiro para colocar os salários em dia. Criaram essa expectativa, inclusive, para os pagamentos de agosto e setembro. Mas não foi o que aconteceu”, criticou o deputado Gustavo Valadares, líder da Minoria.

De acordo com a nova tabela, a primeira parcela de até R$ 3 mil será paga, em agosto, no dia 11 e, em setembro, no dia 13. No dia 23 de agosto será paga a segunda parcela, enquanto a terceira parcela só cairá no dia 30. Já em setembro a segunda e terceira parcela serão creditadas, respectivamente, nos dias 21 e 27. “Queremos que esse governo valorize o servidor e coloque seu salário em dia. Mais que isso, queremos ver Pimentel desinchar a máquina pública, trazendo para a Assembleia um projeto para diminuir o número de secretarias do Estado, e que comece a governar com vistas a atender o cidadão”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *