PT de Minas não explica notas suspeitas

Foram R$ 608 mil em 17 notas fiscais de gastos da eleição passada omitidas e, até agora, nenhuma explicação dada pelo PT de Minas.

As informações são do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), divulgadas em matéria do jornal Hoje em Dia desta terça-feira (28/07), que revela ainda que 3 fornecedores respondem por 97% dos R$ 608 mil, sendo O principal a Gráfica Brasil, cujo valor da nota 11034 é de R$ 256 mil. A empresa já pertenceu a Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, o Bené, investigado na Operação Acrônimo, da Polícia Federal, e hoje está registrada em nome da família do contraventor, suspeito de desviar dinheiro público para campanhas petistas.

Além das notas fiscais omitidas, o corpo técnico do TRE-MG identificou indícios de crime de apropriação indébita e gastos irregulares na prestação de contas petista. Fernando Pimentel também pode voltar a ser investigado pelo Ministério Público Eleitoral, em ação que pede a cassação do governador.

Veja na íntegra a reportagem do Jornal Hoje em Dia:

Leia no site: http://www.hojeemdia.com.br/noticias/politica/campanha-do-pt-em-2014-omitiu-17-documentos-diz-tre-1.335554

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *