Salários de servidores não são pagos nas datas definidas pelo governo

valadares2408
Crédito/Foto: Daniel Protzner - ALMG

Não bastasse divulgar cronogramas que empurram o pagamento para o fim do mês, Pimentel também não honra com os prazos prometidos

Com salários escalonados há mais de um ano e meio, servidores do governo de Minas estão sendo obrigados a conviver com atrasos nos pagamentos das parcelas. Ontem (23/08), mais uma vez, o governo deixou de creditar a segunda parcela na data prevista. Em julho, assim como agora, os servidores também não receberam em dia a segunda parcela do salário do mês. Isso demonstra que, no governo de Fernando Pimentel, nem mesmo os cronogramas de pagamento levam em consideração o planejamento e a transparência.

O líder da Minoria, deputado Gustavo Valadares, criticou a falta de comprometimento do governo. Em junho, os servidores aposentados não receberam em dia a segunda parcela de seus vencimentos, e, em maio, a última parcela de todo o funcionalismo público foi paga com um dia de atraso.

“Esse drama dos servidores já se encaminha para completar dois anos. Não é possível o governo ser tão insensível a ponto de não só parcelar os salários, mas, pior, atrasar ainda um pagamento que já está em atraso. Os servidores estão reféns de um calendário que só existe para inglês ver. Os prazos não são cumpridos e a cara de pau do governo em justificar essa falta de compromisso nos assusta. Dessa vez, colocaram a culpa até no governo federal, como se o pagamento dos salários dependesse dos repasses que são feitos ao Estado”, explicou Valadares.

Desde janeiro do ano passado, várias tabelas de escalonamento já foram publicadas pelo governo. Não bastasse empurrar, em cada cronograma, as datas mais para o fim do mês, o governador Fernando Pimentel ainda não honra os prazos prometidos. Sem respostas para o fim dessa novela, servidores protestaram durante o Fórum Regional realizado pelo governo na manhã desta quinta-feira (24/08) em Betim. Com cartazes e nariz de palhaço, eles cobraram o fim do escalonamento dos salários.

Desculpa esfarrapada

Por diversas vezes, o governador petista alegou ter urgência na aprovação do projeto de lei dos fundos imobiliários justamente para colocar os salários do funcionalismo em dia. Para isso, tratorou a tramitação do PL na Assembleia Legislativa. Em três meses, Pimentel passou a mão nos imóveis públicos pertencentes ao Estado e ainda não deu qualquer sinalização de que os salários voltarão a ser pagos no quinto dia útil, como foi feito nos 12 anos das gestões do PSDB e do PP em Minas.

Deixe uma resposta