Sem dinheiro para a saúde

 

 

O secretário adjunto de Estado de Saúde, Nalton Sebastião Moreira, afirmou ontem que a execução financeira mínima para o setor, referente a 12% do Orçamento, prevista na Constituição Federal, não será cumprida em 2017. A declaração foi dada na sessão da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). De acordo com Moreira, a situação financeira é de calamidade, e este ano marca o ápice da falta de recursos. Aos parlamentares, disse que a prioridade é a questão hospitalar, uma vez que há fornecedores com pagamentos atrasados há 12 meses. “Isso dificulta a compra de medicamentos e equipamentos. Inevitavelmente o passivo será aumentado”, afirmou. Para o gestor, a perspectiva para 2018 é melhor, uma vez que poderá ser utilizada parte dos recursos provenientes do recolhimento do IPVA.

saude3

Fonte: O Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *