Servidores do Ipsemg entram em greve contra atraso nos salários, diz sindicato

Segundo Sisipsemg, Hospital Governador Israel Pinheiro, em BH, e unidades do interior do estado devem ser afetados pela paralisação.

Por G1 MG, Belo Horizonte

Funcionários do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) entraram em greve nesta quinta-feira (30), de acordo com o sindicato que representa a categoria. Nesta manhã, os servidores faziam uma manifestação em frente ao Centro de Especialidades Médicas, que funcionava com escala reduzida, no bairro Santa Efigênia, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

A assessoria do sindicato informou que a paralisação deve afetar todos os setores do Hospital Governador Israel Pinheiro, na capital, e as unidades do interior do estado.

Ainda de acordo com o Sindicato dos Servidores do Ipsemg (Sisipsemg), a categoria iniciou a greve por causa dos atrasos nos salários e também pela política do governo estadual de priorizar o pagamento de algumas categorias.

Os funcionários do Ipsemg já haviam feito outras paralisações neste ano. Desde o fim de 2017, os servidores fazem manifestações reivindicando melhores salários e condições de trabalho.

O instituto de previdência do estado presta assistência médica, farmacêutica, odontológica e hospitalar. Os servidores contribuem com 3,2% dos salários e o estado com 1,6%. Além disso, parte dos serviços é paga pelos servidores.

Em nota, o Ipsemg informou que mantém abertas as vias de comunicação com os servidores, por meio de seus representantes. Disse que, além de receber o sindicato da categoria em reuniões mensais, não tem se furtado ao diálogo em diversas mesas de negociaçãom, e espera que as escalas mínimas sejam respeitadas e os atendimentos preservados.

Com relação aos pagamentos, o governo do estado informou que dando sequência ao pagamento da segunda parcela, iniciado na última segunda-feira (27/8), os valores foram depositados na conta de todos os servidores da ativa e também de parte dos inativos e pensionistas. Os depósitos continuarão a ser efetuados até a próxima sexta-feira (31/8).

Ainda segundo a nota “é importante esclarecer que, em função dos déficits financeiros acumulados e, consequentemente, por uma questão de fluxo de caixa do Tesouro Estadual, a terceira e última parcela será paga na próxima semana. Tal medida afeta 13% dos servidores do Executivo Estadual, uma vez que os outros 87% recebem os salários integrais em duas parcelas.”

O Ipsemg ressaltou que neste mês de agosto, por iniciativa do governador Fernando Pimentel, foi criada uma comissão, formada por representantes do governo e de sindicatos, para acompanhar, de forma transparente, os dados fiscais do estado, como entrada e saída de recursos, fluxo de impostos, sanções do governo federal e o pagamento da folha.

Fonte: Portal G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *