Servidores estaduais se manifestam e fazem assembleia na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte

Eles reclamam que um acordo com o governo, firmado em 2015, não foi cumprido.
Por G1 MG, Belo Horizonte

06/03/2018 12h04 Atualizado há 30 minutos

Servidores técnicos e administrativos da Secretaria de Estado de Administração Prisional e Secretaria de Estado de Segurança Pública fizeram manifestação na manhã desta terça-feira (6) na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. Uma assembleia também é feita para dar rumos à greve, que se iniciou no dia 26 de fevereiro.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais (SindPúblicos-MG), Hugo Barbosa, um acordo fechado com o governo em 2015 previa a equiparação salarial dos funcionários do setor prisional com os demais trabalhadores da mesma da área de segurança, mas não foi cumprido pelo governo.

Ele disse ainda que a categoria quer o envio da Lei Orgânica para Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que está parada desde 2016. “A Lei Orgânica vai organizar a nossa carreira, o nosso plano de carreira, vai falar dos direitos e deveres dos servidores. O governo também pediu para a gente suspender a greve para retomar uma renegociação em abril”, falou Barbosa.

O sindicalista disse que cerca de mil servidores participam da assembleia na Cidade Administrativa.

Em nota, o governo de Minas Gerais informou que continua mantendo diálogo com os servidores administrativos do sistema prisional e que em resposta à manifestação realizada nesta terça-feira foi entregue um documento ao SindPúblicos contendo os seguintes compromissos:

Iniciar, ainda no mês de março, a discussão do Plano de Carreira e das condições de trabalho para os técnicos, assistentes e analistas da SESP e SEAP;
Abrir negociação para discutir as questões financeiras com a categoria no mês de abril;

A compensação dos dias parados será negociada após o encerramento do movimento grevista.
Por fim, o comunicado diz que o governo do estado espera que a categoria encerre o movimento grevista e dê prosseguimento às negociações para que seja celebrado um acordo que atenda aos servidores e garanta a prestação de serviços à comunidade.

Fonte: Portal G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *